O mindfulness, como já falei, é uma tecnologia que todos nós possuímos. Já nascemos com ele, basicamente. E o mais bacana é que você pode reaprender como usá-la. Porém, a maioria das pessoas ainda não conhece todos os benefícios à saúde que a prática regular pode trazer.
Hoje, vamos falar um pouco mais sobre a conexão entre mindfulness e criatividade. Pode parecer que não, mas há uma relação íntima entre os dois conceitos. Acompanhe!

O mindfulness e a criatividade

O mindfulness vem sendo usado em muitos em escolas, hospitais, no esporte, universidades e muito mais. A técnica envolve levar de forma intencional o nosso foco no presente, com curiosidade, e reconhecendo cada momento sem julgamento. Mas reconhecer de forma consciente nossa forma automática de olhar para o momento presente.

O objetivo é desenvolver toda nossa potencialidade e poder de responder a realidade de forma mais consciente e criativa. Sem repetir nosso padrões reativos de comportamentos que muitas vezes nos fecha para o momento. A verdade é que quando falamos dos nossos pensamentos e podemos observa-los percebemos o quanto somos repetitivos nas formas de ver e encarar a vida. Quase nada criativos.

Entretanto, começou-se a evidenciar a relação entre mindfulness e criatividade de maneira mais acentuada. Já sabemos que o poder que nasce no momento presente. E ele está sempre disponível. Mas para isso temos que sair do nosso piloto automático.

Mas como o mindfulness pode ser usado como um estímulo à criatividade? Como ocorre o processo? Os tópicos a seguir podem fornecer boas explicações.

Diminuição do estresse

Todos sabem que o mindfulness diminui os níveis de estresse. Esse pode ser um efeito que fomenta a criatividade. Afinal, quem nunca teve aquele bloqueio forte, impulsionado por uma cobrança excessiva?

Pense na seguinte situação: você precisa ter uma ideia de ouro para a campanha da sua empresa e seu chefe te cobra todos os dias. Você acha que terá bons resultados? Muito provavelmente, não. É por isso que diminuir o estresse em casos agudos melhora muito o processo criativo.

Postura de reflexão

O mindfulness incentiva uma postura de reflexão, em detrimento das ações no automático. Você já deve ter vivido um momento em que as coisas são feitas sem o mínimo de pensamento consciente. É dessa automatização que estamos falando.

Como o mindfulness tem um enfoque no presente, é mais provável que você não repita o que sempre faz de uma forma automática. A atuação se reverte: agora, pela consciência que você estava no automático agindo de forma reativa.

E como isso se associa à criatividade? É a partir da reflexão que identificamos detalhes antes imperceptíveis no ambiente. Quando estamos atentos, podemos fazer novas conexões entre ideias, porque paramos de ver a realidade de uma única forma mas com uma consciência mais ampla e aberta . Assim, o processo criativo encontra um solo fértil.

Pensamento inovador e divergente

Faz quanto tempo que você não muda a sua perspectiva e passa a pensar diferente? Grande parte das pessoas nem lembra qual foi a última vez que pensou “fora da caixa”.

Muitas vezes, a rotina do cotidiano impede que façamos isso. Como consequência, novas ideias não são formadas. Estamos sempre pensando nas mesmas coisas.

Com o mindfulness, você tem a oportunidade de adotar uma perspectiva inovadora em relação ao mundo. Os pensamentos divergentes começaram a surgir e, aos poucos, a incentivar novas ideias.

Pronto! O processo criativo já está ali novamente. Viu como a relação é íntima? Se você está em uma crise de criatividade, o mindfulness pode te ajudar.

Be Mindful!
Pedro Lôbo.